Wladmir Aurélio Araújo: o Didi da percussão

O alegretense Wladmir Ivan Aurélio Araújo, popular Didi Araújo, aos 49 anos possui uma larga trajetória musical. Seguiu o ensinamento do pai que era músico. Começou em meados de 1982, no Bloco da Canastra, onde teve o primeiro contato com instrumentos de percussão.

Após alguns anos, conheceu o amigo Eduardo Christello, colega de empresa que na época era diretor da Escola de Música Oficina do Som.Foi o responsável pela definitiva afinação com o mundo da música. Didi virou um percussionista de mão cheia. Há nove anos toca na noite alegretense. Participou de todos festivais alegretense da canção, inclusive conquistando prêmios em quase todos.

Neste ano conquistou o 3º lugar com Samba de Referência, de Thiago Simon. A bordo do tamborim e ganzá, Didi marcou mais uma edição do festival.

Atuante em trabalhos beneficentes em creches, asilos, hospital e na APAE, o percussionista Didi já atuou em shows do alegretense Márcio Faraco, Ernani Apratto e Gui Mendes. Participou da gravação de 3 DVDS e 1 CD, dois foram com músicos do Ponto Certo, e outro no trabalho da cantora Liane Tavares e um CD com Eduardo Christello. Didi também participou de um documentário da extinta TVE, sobre o Flamengo.Confira um bate-papo com o músico alegretense:

Portal: De onde vem essa influência musical ?Didi: Com certeza dos anos 80. Escutava muito Paralamas do Sucesso, Titãs, Legião Urbana, U2 e Pink Floyd.

Portal: A percussão é teu forte, como conseguiu aprender e dominar os instrumentos musicais ?

Didi: Posso dizer que sou autodidata. Aprendi sozinho. Na base da curiosidade mesmo. Escutava, e olhando vídeos fui pegando o jeito. Foi um dom natural mesmo.

Portal: Mais um FAC. O que representa para ti estar inserido mais uma vez no evento ?

Didi: Representa muito: significa entusiasmo, emoção, participação, alegria de estar junto com outros músicos.

Portal: Tu já é veterano no FAC. Qual o segredo de estar sempre entre os participantes ?

Didi: É estar sempre tocando. Ser humilde e amigo. Interagir com todos. Isso cria um ciclo de amizade. Talvez o segredo seja estar sempre atuando.

Portal: Num panorama geral, como está a situação do músico na noite alegretense ?

Didi: Avalio como boa. Temos muitos lugares com música ao vivo, e tem espaço para todos.

Portal: Alegrete tem se destacado tanto na arte e na cultura. O que tu mais almeja para o meio musical no município ?

Didi: :Que continuem os festivais existentes. Que as escolas de música se mantenham e cresçam ainda mais formando novos talentos

Portal: Se tu pudesse citar um momento na tua trajetória musical qual seria?

Didi: Todos os momentos foram e serão importantes. Mas tocar com o Márcio Faraco, um grande músico brasileiro, me trouxe mais reconhecimento do público.

Portal: Já pensou em montar uma escola de percussão em Alegrete ?Didi: Montar uma escola requer muito conhecimento, tempo, dinheiro, e pessoas comprometidas. Alegrete tem excelentes percussionistas que juntos sim, poderiam montar uma escola.

Portal: “A música alimenta a alma e une os amigos”, segundo menciona no teu cartão de visita. Qual é a mensagem do Didi Araújo para aqueles que desejam aprender a tocar um instrumento musical ?

Didi: Tocar não é só tirar o som do instrumento. Tem que ter sentimento, entrega, alma, estudo, paciência, ser humilde, aceitar críticas para crescer, e saber que a música leva emoção ao coração e a alma.

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *