A obstinação do cadeirante que nunca desistiu da casa própria

Há um ano e oito meses o cadeirante Osmar Pillar Pires saiu do bairro Nilo Soares Gonçalves. Ele residia em uma casa que tinha sido cedida pela proprietária, pagava a parcela junto à Caixa, entretanto, houve a reintegração de posse pela Caixa Econômica Federal.

Desde então, o dilema do cadeirante foi longo. O único desejo do alegretense é uma moradia digna que possa ter o seu direito assegurado. Mas, diante de tantas dificuldades, recusas e portas fechadas, Osmar realizou protestos, fez publicações e não desistiu.

A boa notícia ocorreu no último mês, quando ele finalmente foi agraciado com uma área pequena, mas suficiente para construir três peças, para enfim, ter o seu lar.

Para isso, ele precisa de auxílio, pois mesmo diante de todos os motivos para desistir, isso jamais foi uma opção. Osmar acrescenta que a renda de hoje, é basicamente para o aluguel e conseguir a alimentação. E, para sair dessa despesa do aluguel, precisa erguer o seu lar.

” Pelo meu cálculo, vou precisar de 1500 tijolos, 10 bolsas de cimento, 25 folhas de brasilite, caibros 5/7, areia, brita, uma porta e uma janela, esse é o essencial. Mas, de qualquer forma, toda ajuda será bem vinda. Se alguém quiser entrar em contato o número é 55 9 8446 1968.

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *