Alunos de Telecom da Unipampa junto com EMEB Luiza de Freitas Valle criam sensor para indicar nível do Ibirapuitã

Um projeto de extensão universitária do curso de Engenharia de Telecomunicações, da Unipampa em parceria com a Escola Municipal Luíza de Freitas Valle usou como protótipo a ponte férrea que passa sobre o Rio Ibirapuitã em Alegrete.

O professor Mauro Rodrigues explica que os alunos do curso trabalharam para criar um sensor que indique o nível de cheias no Rio. O objetivo, diz o professor da Unipampa, é automatizar a sinalização de cheias do Rio Ibirapuitã em Alegrete O sensor monitora o crescimento do nível do Rio e pode emitir alertas por mensagens, sonoras ou luminosas. São três níveis de alarme: no nível normal fica com sinal verde; um pouco acima do nível a cor é amarela e quando ultrapassa esse outro nível o sensor fica na cor vermelha, disse o professor Mauro Fonseca.

Maurício, o alegretense que herdou a arte da declamação desde piá

Protótipo foi feito na ponte Férrea de Alegrete sobre o Rio Ibirapuitã

Os professores do curso de Telecomunicação do campus de Alegrete envolvidos neste trabalho são: Mauro Fonseca Rodrigues, Ricardo Venturelli e Angela Milani. É sabido que sempre que tem excesso de volume de chuva, o rio Ibirapuitã sobe de nível em Alegrete e muitas vezes causa enchentes Ter meios que ajudem a monitorar o nível do rio que banha e atravessa a cidade é muito importante, dizem os envolvidos no projeto.

Se inscrever
Notificar de
guest

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários