As Cores de Alegrete, projeto do Flamengo pode ser contemplado com R$ 100 mil
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O projeto Flamengo: As cores de Alegrete, poderá receber um aporte de R$ 100 mil. Em visita a sua cidade natal, o deputado federal Afonso Mota/PDT, recebeu o pedido do presidente Toninho Fagundes e sinalizou de forma positiva que o valor estará disponível no orçamento de 2022.

A direção geral é de Antônio Carlos Antunes Fagundes – Presidente do Instituto “Toninho Fagundes”, que considera o projeto ser um movimento de ocupação respeitado e relevante para a comunidade, oferecendo Educação, Cultura, Lazer e Conhecimento através de viagens  para participação e disputa de competições nacionais e internacionais, o que lhe assegurou o reconhecimento em diversos lugares do mundo.

No entendimento do projeto “A violência é o fruto da falta de educação e da convivência social”. Somente o Esporte é capaz de mudar estes  conceitos e estatísticas  que aumenta diariamente  junto aos  nossos bairros, razão pela qual necessitamos construir alternativas concretas para diminuir estes índices alarmantes.

Do desportista Toninho Fagundes Afonso Motta recebeu pedido de  auxílio ao projeto Social Cultural e Desportivo –  “Flamenguinho: as Cores de Alegrete”. Disse Toninho que Afonso prometeu R$ 100 mil de ajuda para ser incluída  no orçamento do ano que vem.

A ideia do projeto é ter êxito em formar atletas, e como maior feito utilizar a prática Esportiva – o Futebol, esporte  que sempre foi o mais praticado em todos os espaços dos bairros (Campinhos, Campos de Várzea e Praças Esportivas), quando o Flamenguinho está propondo levar para estes  ambientes (periferias), como ferramenta principal de uma coletivo forte que, transforma a vida.

 

O  Projeto “Flamenguinho: As cores do Alegrete”- foi concebido pelo professor Edson Machado – CONFEF/CREF 021789 G/RS, que destacou os objetivos do trabalho.

“A Educação é o único caminho para emancipar o homem” – além de incentivar o Esporte o Flamenguinho, traz a responsabilidade  de criar convivência, pois teremos   muitas crianças, em ambiente multicultural, onde meninos    e meninas treinarão juntos.

Como o Projeto é uma manifestação  cultural e  educacional, teremos que buscar a sustentabilidade econômicos, através de parcerias publico-privado.

 

Estes  recursos para o fortalecimento dos  meios esportivos e pedagógicos para não limitar as crianças  em faixas- etárias, motivando e dividindo as equipes pedagogicamente  conforme faculta as normas de práticas  esportivas e pedagógicas corretamente.

O Projeto “Flamenguinho: As cores do Alegrete”- será destinado a crianças e pré- adolescentes de 6 a 13 anos.

Com metodologia e desenvolvimento a ser executado pela Escolinha do Flamenguinho  em parceria  com LAF (Liga Alegretense de Futebol) terá apoio da  Faculdade de Educação Física UNOPAR/ Alegrete e Prefeitura.

A coordenação é da Escolinha do Flamenguinho, LAF, UABA e Instituto “Toninho Fagundes”, supervisionado e  apoiado pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer do Município de Alegrete.

O projeto piloto terá início em Cinco (5) Polos Estratégicos da Cidade:

1- Bairro Vila Piola (Quadra de Esportes da Escola “José Antônio Vilaverde Moura”);

2- Bairro Vila Nova (Campo de Futebol do EC Vila Nova);

3- Bairro Macedo – Zona Central (Campo do Esporte Clube Nacional);

4- Bairro Zona Leste (Campo do Palmeiras);

5- Bairros  Nova Brasília, Nilo Soares Gonçalves, Pro-Morar  (Praça da Juventude  João Saldanha);

6- Bairros Zona Sul – (Quadra da Escola Paul Harris).

Conforme Machado, os locais poderão ser alterados para as quadras e praças esportivas do município. O projeto vai contar com diretor – coordenador técnico, 4 monitores técnicos, 2 preparadores de goleiros e 4 alunos estagiários de Educação Física da UNOPAR.

Entre duas atividade desenvolvidas por semana serão oferecidos lanches para os participantes, com período de cada  atividade de 90 minutos  por turma, destaca o educador físico Edson Machado.

O projeto utilizará 40 bolas de futebol (oficiais); 40 Cones de Marcação, 16 jogos de termos esportivos com 10 coletes de cores  diferentes –tamanho médio.

A parte financeira que envolve toda concepção e formatação de um Projeto Publico-Privado (Empresas Privadas), será fundamental.  As ações serão para material esportivo buscar empresas privadas, alimentação (Lanches) com iniciativa privada e merenda escolar por parte do município.

Entre crianças e pré-adolescentes a estimativa é envolver cerca de 200 famílias. Segundo Toninho Fagundes, em virtude da pandemia não foi possível articular encontros para viabilização de parcerias.

Júlio Cesar Santos                                         Foto: reprodução 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •