Carta comove PMs que salvaram jovem nas águas do Ibirapuitã
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Devemos ser gratos a Deus pelos pequenos detalhes. Nos detalhes descobrimos o valor de uma realidade. Olhar as miudezas da vida faz a diferença – padre Fábio de Melo.

Essa frase do sacerdote faz muito sentido à família do jovem de 19 anos que foi resgatado das águas do Rio Ibirapuitã,  na madrugada fria do último dia 29.

Com muita emoção e gratidão ao ato heroico dos policiais militares, de Alegrete, os pais do jovem,  procuraram o Quartel (2° Esquadrão), e realizaram a entrega de uma carta de agradecimento aos soldados Áquila e Marcos, na presença do Tenente Cordeiro.

Uma ação da Brigada Militar que vai além da missão de ser policial

O momento foi de muita comoção e, com a voz embargada, o pai leu, aos policiais,  uma carta escrita por ele. O renascimento e a oportunidade de uma segunda chance foram reconhecidos. Às lágrimas foram inevitáveis, o momento, foi de olhar nos olhos dos bravos soldados que não titubearam e, sem pensar duas vezes, colocaram suas vidas em risco e a destemida ação resgatou o jovem que,  hoje, está em casa e segue recebendo todo amor, dedicação e apoio que necessita.

Na carta, a descrição daquela fatídica madrugada que poderia ter sido uma tragédia.

A perversidade que destrói o patrimônio de todos nós

O pai, que trabalha há anos na rede de saúde foi comunicado por uma colega de profissão que o filho estava na UPA. Fora levado pelo Samu e uma guarnição da Brigada Militar.

A reportagem do PAT teve acesso e autorização para tornar pública a carta escrita pelo profissional da área de saúde que estava trabalhando naquela madrugada.

À Brigada Militar

Na madrugada da última terça-feira, estava em meu trabalho quando uma colega de profissão ligou para dizer que meu filho estava em atendimento na UPA.

Naquele momento, ao ouvir o relato dela, minha pernas desfaleceram, o coração acelerou e, mesmo trabalhando há quase duas décadas em urgência e emergência, na luta constante pela preservação da vida, desmoronei e fiquei apático.

Mas logo soube que ele estava bem,  estável e dormindo. Tinha sido conduzido à Unidade de Pronto Atendimento pelo Samu e uma guarnição da Brigada Militar, então me informei dos fatos quando consultei o site Alegrete Tudo e, ali estava a matéria.

O filho amado, o caçula, havia sido resgatado das águas gélidas do Rio Ibirapuitã.  Não estou aqui para expor motivos, descobrir a causa, mas sim, para agradecer a Deus e aos Anjos Fardados que guardam, protegem e salvam nossa cidade. Heróis fardados que combatem o crime, defendem o fraco e muitas vezes retiram suas fardas e lançam-se em abismos profundos para resgatarem àqueles que já estão sem esperança, destinados aos seus últimos fôlegos de vida. Mas, tais Anjos, despidos de suas fardas colocam em risco suas próprias vidas em prol do próximo.

Assim foi a atitude dos soldados Maique Áquila e Marcos Oliveira que, naquela madrugada fria, lançaram-se nas águas do Rio Ibirapuitã e no duelo com o anjo da morte retiraram de suas garras meu amado filho.

Vertem rios de lágrimas dos meus olhos e com sentimento de gratidão em meu coração sou eternamente grato, muito grato.  Peço a Deus em meu clamor que os recompense e, não apenas a ambos, mas a todos que estavam naquela madrugada pelo feito heroico, servindo e protegendo nossa cidade.

Que todos permaneçam firmes fazendo o bem, que tenham ânimo e façam justiça, pois Deus há de recompensar a cada um por suas obras fantásticas” – citou o pai.

Para encerrar, a palavra gratidão  e a assinatura dos pais que não vamos expor.

Na sequência, a reportagem também falou com os dois soldados que receberam a carta de agradecimento e questionou o que a ação representou a cada um.

Soldado Áquila descreveu: em primeiro lugar fiquei muito feliz pelas belas palavras de gratidão escritas pela família do rapaz. É muito bom quando as pessoas reconhecem qualquer trabalho da polícia.
Também tenho filhos e pra mim foi muita emoção poder devolver o filho deles com vida. Felizmente o jovem terá outra chance de recomeçar. Estou muito em paz com minha consciência, pois fiz aquilo sem titubear, mesmo com os riscos que haviam eu e o Marcos fomos no instinto de retirá-lo daquele perigo. Eu não conseguiria ficar apenas olhando o rapaz sumir naquelas águas sem ao menos tentar resgatá-lo! Torço para que ele e a família fiquem bem. Também gostaria da oportunidade para conscientizar outras pessoas que estão passando por problemas e acham que resolverão tudo cometendo um ato impensado. Procurem ajuda! seja espiritual, médica, com a família ou amigos, porque tudo pode ser resolvido com outras atitudes e auxílio” – completou.

O profissionalismo e uma palavra amiga salvaram uma vida na Ponte Férrea

Já o soldado Marcos ressaltou: “ao ouvir o relato do pai do jovem, fiquei muito comovido e emocionado com o reconhecimento da família. Além do principal, que foi saber que o rapaz está bem. Isso me deixou muito feliz”.

Naquela madrugada os soldados tiveram o apoio dos soldados Bica, Palhano, Matheus e o sargento Pujol. Nos Bombeiros, a equipe estava composta pelos soldados Lucas, Jonas e Quadros. Assim como o Samu.

No link abaixo veja a reportagem, do resgate, na íntegra.

Bravura: Policiais Militares salvam vida de jovem em Alegrete

 

Flaviane Antolini Favero


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •