Menino de oito anos, filho de alegretenses, dá exemplo de empreendedorismo no Paraná
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um empreendedor de apenas oito anos e um sonho: ter a sua bicicleta nova. O grande exemplo do pequeno Pyetro Cordeiro Pereira Dutra, vem da cidade de Maringá no Paraná. Mas ele é filho do casal alegretense Renata Cordeiro Pereira Dutra e Eli Sandro Severo Dutra.

 

Renata entrou em contato com o PAT pois acredita que a iniciativa do filho pode auxiliar muitas outras crianças. O desejo de ter uma bike nova em meio à uma pandemia, onde a situação ficou mais delicada financeiramente para muitos, enalteceu o espírito empreender do menino de 8 anos, que além de conseguir o seu objetivo, como o valor ultrapassou o que necessitava, também demonstrou ter um grande coração, empatia e solidariedade. Pois ao invés de pensar em si, Pyetro de pronto teve a ideia de comprar uma outra bike para doar a uma criança carente. o que o tornou ainda mais gigante diante da grandiosidade do gesto.

Para conseguir realizar esse desejo o pequeno Pietro Cordeiro da Silva, de Maringá, teve a ideia de comprar paçocas para revender na frente de casa. Pietro convenceu os pais, pintou uma placa com o anúncio e está fazendo muitas vendas.

Segundo a mãe de Pietro, Renata Fernandes, o menino demonstra um espírito empreendedor desde os 6 anos. Ela destaca o interesse do menino pelo assunto e diz que ele sempre quis criar um negócio próprio. No começo, os pais deixaram a ideia de lado, mas o menino não desistiu.

Em seguida, o menino levou até a mãe todo o planejamento para montar uma banca e começar a venda dos doces. A ideia de Renata foi, então, comprar paçocas para o menino começar a trabalhar. “Eu abracei a causa e vou ajudá-lo. Vou estimular com o que estiver ao meu alcance. Nós poderíamos ter comprado a bicicleta para ele, mas vamos agregar um valor”, afirma.

Acompanhado do pai, ele fica em frente à casa da família durante todo o dia, vendendo as paçocas. O turno de trabalho é das 8h às 12h, pela manhã, e das 14h às 17h, durante a tarde. A iniciativa do menino ganhou as redes sociais. Uma publicação de Renata no Facebook teve dezenas de reações e mais de mil compartilhamentos. “Tem gente até da Inglaterra pedindo para mandar a conta bancária para ajudar, gente de São Paulo fazendo pedido de caixas [de paçoca] para comprar e mandar por correio”, diz Renata.

O pai do menino, Elissandro Severo Dutra, disse que não imaginava que a ideia do filho daria tão certo. “Ficamos impressionados com a repercussão que deu tudo isso. E ele está tão animado que quer continuar vendendo paçocas depois que juntar o dinheiro. E vamos continuar estimulando ele a trabalhar para comprar as coisinhas dele”, disse o pai.

A alegretense ressalta que eles residem em Maringá há alguns anos, mas sempre que podem estão na Terrinha Amada, como descreve Alegrete. Ela trabalha com finanças e coaching. De acordo com Renata, em razão da pandemia, muito trabalho foi realizado de casa, vídeo chamadas, lives, vídeo aulas e o filho estava por perto acompanhando. Então quando a bicicleta estragou, ele prontamente foi até a mãe e fez a proposta de trabalho para adquirir a nova. ” Que menino incrível e inteligente.  E eu abracei o empreendedorismo dele, fui lá e comprei as paçocas. E foi incrível pois ele começou a vender na terça e na quinta já tinha o valor que precisava. Ele comprou uma bicicleta pra ele,capacete,luvas,buzina e luzinha. Foi um momento ímpar, de muito orgulho do meu anjinho que, com trabalho dele comprou o que desejava. Mas a ação foi muito mais do que ele imaginava e sobrou dinheiro, então, prontamente ele teve a ideia de comprar uma outra bicicleta para doar a uma criança carente. Eu postei na internet que ele tava vendendo e, em questão de 30 minutos viralizou no Brasil inteiro. Recebemos muitas mensagens e ligações de vários Estados e cidades de pessoas incentivando ele a não desistir. Teve quem quis fazer depósitos, mesmo sem ter o produto. Uma corrente muito linda.  E quero transmitir essa mensagem pra minha terra querida. Mais de 10 canais de TV vieram aqui, blogs e jornais. Tudo em prol de compartilharmos boas ações. Eu tenho um empreendedor nato em casa.  Em fevereiro ele segue no curso de robótica, que é o que ele gosta  e vai ajudá-lo no empreendedorismo e na parte lógica” – concluiu.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •