Saudade de Alegrete: alegretense divide com os conterrâneos seu sucesso profissional depois de muita luta e determinação

Falar de alegretenses desgarrados ou não é sempre contar lindas histórias. Mas o quadro Saudade do Alegrete tem oportunizado que muitos possam dividir suas conquistas fora do Município e da terra natal. A saudade sempre presente, os laços familiares e as amizades deixadas em Alegrete são lembranças e motivos para que o baita Chão esteja sempre memorizado na vida dos conterrâneos.

 

Por  whatsapp, a entrevista foi com Ariel Vareiro Pereira de 35 anos. Ele descreveu um pouco da sua história, e acrescentou que pode servir  como incentivo a outras pessoas que, assim como ele, sonham em buscar novas searas, e alcançar seus objetivos na vida profissional e pessoal .

Ariel é filho de Lourdes Paulina de Moura Vareiro e Arizoli Rodrigues Pereira, declamador, campeão do Enart, tradicionalista e grande apaixonado pela terrinha tão hospitaleira. “Nasci e vivi grande parte da minha vida no nosso Alegrete de onde me orgulho muito” – comenta.

 

O  alegretense ressalta que iniciou a vida profissional na Caal (engenho), estudou no Emílio Zuñeda e, posteriormente, passou a estudar Tecnologia em Agroindústria na EAFA. Ele serviu no 12º Batalhão de Engenharia de Pontes e, como tantos outros alegretenses, devido à falta de oportunidades e o desemprego, buscou coragem e optou por novos caminhos.

“Dessa forma, há 15 anos, me aquerenciei aqui na serra gaúcha, na grande e conhecida Caxias do Sul. Trabalho há 10 anos na UCS – Universidade de Caxias do Sul, formado em RH – Recursos Humanos, e curso a minha 2ª graduação – Bacharelado em Direito. Sou muito grato à empresa que me acolheu com grande amor e carinho, que valoriza cada profissional de forma muito hospitaleira. Fui nomeado várias vezes como – Funcionário Homenageado, recebi no início do ano de 2020 um bolsa de Intercâmbio para Punta Del Este, levando o nome da Instituição com o privilégio de adquirir grandes conhecimentos, nova cultura e aperfeiçoar o espanhol.”- destacou.

 

Ariel pontua que nem tudo na vida são flores e, até chegar no momento atual, foram anos de muita luta e perseverança. Muita garra e foco no que tinha como meta, que era a formação acadêmica e a realização do sonho de adquirir a casa própria, que ele acredita ser o sonho da grande maioria das pessoas.

 

Com isso, no final de 2020 recebeu as chaves do apartamento novo. “Adquirir uma casa/apartamento sempre foi um sonho para mim e acredito que para muitos. Para conquistar esse sonho, precisei além de exercer minhas atividades nesses 10 anos na UCS, fazer muito mais, trabalhando em outros lugares e nos finais de semana como muitos sabem, diversas vezes trabalhei 24h ou 36h direto para conquistar aquilo que buscava. Desde auxiliar de cozinha, porteiro em sábados, domingos e feriados até mesmo como faxineiro, trabalho que até hoje, ainda realizo e com muito orgulho.”- salienta.

 

Para finalizar, Ariel acrescenta que tem um grande orgulho pela conquistas e por ser a  pessoa que é. “Estou sempre buscando evoluir como pessoa e como profissional, nem sempre acerto, pois sou ser humano, mas tento dar o melhor de mim, sempre. Gostaria de dizer para outras pessoas que nunca deixem de sonhar. A estrada muitas vezes é cheia de pedras e dificuldades. Pode ser difícil, mas quando queremos, temos fé e entendemos que sim, é possível vencer sempre!

Participe da sessão Saudade do Alegrete, mande sua história para: email- [email protected] WhatsApp: 55 999287002.

 

 

Flaviane Antolini Favero