Banner do violentomêtro da mulher não teve adesão de empresas privadas em Alegrete

A Semana da Mulher promovida pela Câmara de Vereadores e vários parceiros, de 8 a 12 de março, traz a tona vários assuntos dentro das ações de prevenção, denúncia e promoção das mulheres alegretenses que faz parte desse incessante trabalho de toda uma rede de proteção contra a violência em mulheres aqui no Município.

Personagens da Aldeia| Laurisnei de Castro, o “Ruivo” cria do Rincão da Palma

E com objetivo de divulgar informações necessárias a todas as mulheres, a rede de proteção da mulher, de Alegrete, mandou fazer os banners do violentômetro para alertar as pessoas sobre o que é a violência doméstica contra a mulher e os órgaos que podem procurar para denunciar.
A promotora criminal, Rochele Jelineck, informa que integrantes da rede de proteção da mulher, da Secretaria de Assistência Social e da ONG Amoras solicitaram a entidades e estabelecimentos privados onde há grande circulação de pessoas, tais como supermercados, bancos e farmácias, a colocação dos banners do violentômetro visando esclarecer a população sobre o que é violência doméstica contra a mulher.

Centro Cultural requer manutenção urgente, aponta vereador

No entanto, esclarece não houve receptividade por parte dos estabelecimentos que não permitiram a colocação dos banners nesses locais. -Infelizmente, não existe apoio da sociedade civil e só conseguimos colocar os banners em órgãos públicos, cita.

Saiba os caminhos que as mulheres podem seguir e os orgãos a procurar em caso de sofrer violência doméstica em descrição do MP do Rio Grande do Sul .

Se inscrever
Notificar de
guest

0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários