Caminhoneiro é preso por dirigir sob efeito de ‘rebite’, na RSC 377, em Alegrete

Um caminhoneiro, de 21 anos, foi preso na RSC 377, ao ser flagrado dirigindo sob efeito de ‘rebite’, substância que inibe o sono. A abordagem foi na manhã desta quinta-feira (2), no KM-398 em Alegrete.

O Comando Rodoviário da Brigada Militar(CRBM), realizava patrulhamento e fiscalização de rotina na rodovia quando o caminhão, carregado com mercadorias(diversas), trafegava sentido Manoel Viana /Alegrete.

Durante a abordagem e identificação do condutor, um paulista de 21 anos, percebeu-se que ele estava desorientado e apresentava atitudes suspeitas. Na revista pessoal, foi encontrado no bolso, dele, uma cartela de um medicamento chamado “Nobésio extra forte”, faltando oito comprimidos, dos 15 que compõem a cartela.

Empresa de Alegrete se manifesta sobre acidente em Rosário do Sul

Ao ser questionado, o condutor disse que carregou o caminhão em São Paulo, na noite do dia 31 e, desde então, estaria dirigindo sem dormir. Ele parava, rapidamente, apenas para comer e ir ao banheiro.

Diante da situação, ele foi preso em flagrante e encaminhado à UPA, onde o médico atestou que o indivíduo estava sob efeito de substância psicoativa. Levado à Delegacia de Polícia, a Delegada Fernanda Mendonça, determinou flagrante afiançável em três salários mínimos.

Até o momento em que a matéria foi publicada, a informação era de que o condutor iria pagar o valor que corresponde a quase 4 mil reais. Já o veículo, não apresentava irregularidades e seria liberado para um motorista habilitado.

Situação caótica do Presídio de Alegrete será tema de audiência pública

A prisão do motorista ocorreu durante o trabalho preventivo dos policiais rodoviários estaduais, na RSC 377, em Alegrete.

O medicamento, que foi apreendido, possui em sua composição a droga anfetamina, proibida de ser vendida e consumida no Brasil. A droga costuma ser usada por motoristas para inibir o sono e prolongar a viagem, desrespeitando, assim, a lei do descanso (Lei nº 12.619/12).

Além do medicamento, foi verificado pelos policiais, com base nas informações, que o motorista desrespeitou o período mínimo de descanso, e por isso foi autuado e perdeu pontos na CNH.

O que é Nobesio, também conhecido como Rebite ou Bolinha?

Essa conhecida droga ilícita é da família das anfetaminas, que agem diretamente no sistema nervoso central e faz com que as capacidades físicas e psíquicas fiquem mais rápidas por um determinado tempo.

Mas não é só isso, há muitas reações contrárias e prejudiciais dessas substâncias.

Conheça os efeitos do rebite e saiba porque ele é prejudicial à saúde

Com o objetivo de conseguir dirigir por várias horas sem parar, muitos motoristas usam as anfetaminas para criar essa resistência, porém muitos deles não sabem ou ignoram as consequências do rebite.

A ação da droga tem um período para ser finalizada, sendo assim, sempre que esse tempo vai chegando ao fim, o motorista ingere uma nova dose do rebite e isso vai se repetindo no decorrer do dia.

Para que a eficácia do rebite aconteça como o caminhoneiro quer, é necessário consumir, em média, 20 comprimidos por dia.

Essa quantidade aliada a frequência com que essa substância é consumida faz com que o condutor cria uma dependência e um ciclo vicioso no rebite. O consumo cria uma mistura de sensações no cérebro e, com isso, os reflexos são prejudicados, o que causa a maioria dos acidentes nas vias.

E esta nem é a pior parte. Os efeitos do rebite no corpo causam:

  • Dor de cabeça
  • Perda de peso
  • Aumento do batimento cardíaco e pressão arterial
  • Visão desfocada
  • Confusão
  • Boca seca
  • Gastrite
  • Desnutrição
  • Ansiedade
  • Entre outras reações.

Quando o consumo já não pode mais ser evitado pelo motorista, os impactos do rebite são ainda mais preocupantes, ocasionando em:

  • Sensação de pânico
  • Depressão
  • Paranoia
  • irritabilidade
  • Impotência sexual
  • Redução da libido
  • Síndrome de perseguição
  • Entre outros problemas associados ao uso da droga.

 

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários