fbpx

Cavalos, sem documentos, apreendidos em reboque Irregular na BR 290 foram sacrificados
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Dois cavalos apreendidos, na BR 290, em um reboque foram sacrificados ontem(4), em um frigorífico, em Alegrete. O registro realizado na Delegacia de Polícia de Alegrete, descreve a situação na versão de uma mulher argentina de 51 anos.

Sargento Espinosa lutou bravamente até o fim; missão cumprida, guerreiro!

Ela narrou aos policiais que trafegava sentido Uruguaiana/Porto Alegre,  na madrugada do último dia 28. Cerca de 10km depois de Alegrete, ela e o esposo foram abordados pela Polícia Rodoviária Federal.  Atrelado à caminhonete Suzuki com placas brasileiras estava um reboque onde os mesmos transportavam dois cavalos.

 

Assim que solicitada a documentação do veículo,  dos animais e do condutor, constatou-se que o reboque estava sem placas. A argentina descreveu que teria informado aos policiais que no País que reside a placa da caminhonete é a mesma para o reboque. Mas como o mesmo é argentino e a caminhonete brasileira não seria a mesma documentação e o reboque foi recolhido ao depósito do Detran,  segundo ocorrência.

Com sistema de saúde em colapso, classe médica suplica por responsabilidade da população em relação à Covid-19

Já, os cavalos, foram entregues à inspetoria veterinária do município.  Contudo a mulher registrou que posteriormente ficou sabendo que os animais seriam sacrificados. Embora,  segundo ela, teria apresentado o exame do mormo e de anemia. A argentina lamentou pois ela e o marido estariam apenas prestando um favor de levar os animais de Uruguaiana para Porto Alegre.

Em contato com a inspetoria veterinária, Augusto  Scheren, explicou que os dois cavalos foram sacrificados no frigorífico em Alegrete. Ele disse que não houve a comprovação de origem dos animais.  Além de ter sido ofertado o prazo de três dias aos responsáveis. Devido ao risco sanitário, foi realizado procedimento conforme a Legislação.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •