Cercado de cuidados e esperanças renovadas, Felipe Cipolat chega a 100 quimioterapias

Na sexta-feira, Felipe Cipolat alcançou um marco notável em sua batalha contra a leucemia, completando a centésima sessão de quimioterapia.

Seis meses após o início do tratamento, Felipe continua sua luta, mas com a gratidão expressa por seu pai, Adriano Cipolat, pelo apoio de todos.

Comércio abre as portas em domingo quente e chuvoso na contagem regressiva para o Natal

Em um breve depoimento, Adriano Cipolat compartilhou sua gratidão: “quero expressar nosso profundo agradecimento ao Portal Alegrete Tudo pelo apoio constante no tratamento do Felipe. Hoje, após seis meses de desafios, celebramos a quimioterapia de número 100. Felipe ainda está na luta, com a benção de Deus. Estamos na segunda etapa do tratamento, e em breve enfrentaremos outra fase. Agradeço aos médicos do CT Criacc, do Hospital Universitário de Santa Maria, Dr. Ederson, Dra. Raissa, e a todos os profissionais que caminham conosco. Também à Secretaria de Saúde de Alegrete, ao setor de transporte PAM, Mariza e Daniel, pelo incansável esforço. Em nome da minha família e de Felipe, desejamos a todos um feliz Natal e um próspero Ano Novo, repletos de paz e, principalmente, saúde.

Continuamos em oração pela recuperação completa de Felipe. Ele está melhor, retornando à rotina gradualmente, mas o tratamento persiste. Gratidão ao Hemocentro de Alegrete e à população que, nos momentos difíceis, demonstrou uma solidariedade notável. Que Deus abençoe a todos sem medida. Ele está, agora, na fase da consolidação”- cita.

Aplicativos de mobilidade crescem 30% no segundo semestre em Alegrete

A história de Felipe Cipolat teve início em junho, quando uma busca por atendimento odontológico para resolver um desconforto em um dente rapidamente se transformou em um desafio de saúde. Um sangramento persistente levou Felipe a buscar atendimento médico de urgência, resultando no diagnóstico de leucemia. Essa reviravolta lançou-o em uma batalha que demandou coragem, determinação e o apoio crucial da comunidade.

A família enfrentou momentos de angústia enquanto buscava o tratamento adequado. Durante sua passagem na UTI da Santa Casa, um apelo emocionado por doações de plaquetas e sangue do tipo O positivo mobilizou a comunidade, que respondeu de maneira avassaladora, comparecendo em grande número ao Hemocentro. Essa onda de solidariedade não apenas proporcionou os recursos necessários, mas também ilustrou o poder da união em tempos difíceis.

Reportagem publicada pelo PAT promove encontro entre mãe e filho depois de 30 anos

Após várias etapas de tratamento, incluindo exames e procedimentos não disponíveis localmente, Felipe foi transferido para Santa Maria. E, após 50 dias, ele retornou a Alegrete. A comunidade continua a apoiar Felipe, demonstrando que, em meio aos desafios, a solidariedade prevalece, trazendo esperança e força para aqueles que mais precisam.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários