Cofre da Nativa envolveu mais 9.500 participantes e premiou um trabalhador autônomo
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

E a quarta edição do Cofre da Nativa surpreendeu e deixou uma grande dica para os próximos participantes: não é no chutômetro, mas você prestar atenção nas dicas, usar de astúcia, perspicácia e sentar e raciocinar.

O sócio/gerente da Rádio Nativa e do Portal Alegrete Tudo, Jucelino Medeiros, idealizador dos enigmas/ charadas, disse que esta última  edição foi bem difícil. Pois, desta vez, envolvia bairros, ruas e localidades. Isso dá uma infinidade de opções.

 

Jucelino, que acompanha toda a dinâmica e as respostas dos participantes falou que foram mais de 9 mil pessoas que buscaram abrir o cofre e levar o prêmio, contudo, a grande maioria colocou palavras sem sentido o que demonstra que não prestam atenção nas dicas – salienta.

 

O desafio de terça-feira(6), foi o seguinte: a palavra que abre o cofre é formada por silabas inicias de uma localidade do interior, de uma importante rua e de um bairro de Alegrete. A junção dessas três sílabas forma a senha do cofre com 200 reais. Dica: a palavra tem uma bela sonoridade e forte significação para muitos.

E a resposta era a palavra: CABALA – silaba inicial da localidade do Interior Caverá; silaba iniciais da rua Barão do Amazonas e silaba inicial do bairro LARA.

O que é CABALA: conjunto de ensinamentos e doutrina que busca entender a origem do homem e do universo. Nasceu no Judaísmo, mas está presente em outras religiões pelo mundo.

Com todas essas dicas, o vencedor foi o alegretense Alex dos Santos de 42 anos e morador do bairro Medianeira. Muito feliz, ele esteve na rádio Nativa, na tarde de ontem para receber o prêmio. Alex, que trabalha de forma autônoma, é pedreiro, conversou com a reportagem.

 

Ao ser questionado como chegou ao resultado da palavra que abriu o cofre, ele cita que tentou pela manhã, mas devido ao trabalho, que não pode parar, desistiu. Porém, ao chegar em casa, depois de fazer o chimarrão pegou um caderno e passou a escrever os nomes de bairro, localidades e ruas. Ele acrescenta que chegou primeiro na palavra para depois formar todas as sílabas, pois não recordava o nome do bairro Lara. ” Cheguei na localidade, na rua e tive que pensar um pouco para lembrar do bairro Lara. Mas já tinha deduzido que a chave era a palavra Cabala. Como já tinha ouvido falar e também li algumas matérias que eram informativas sobre o assunto, deduzi que essa era chave. O enigma não era fácil, mas é uma questão de parar e colocar no papel”- acrescenta.

Esta edição foi a mais demorada para que o cofre fosse aberto, das duas anteriores que tiveram os enigmas decifrados, foram 10h. Iniciou às 11h e concluiu às 21h. Das outras edições, duas, por coincidência, foram professoras as contempladas com os 200 reais. Já na segunda edição, o cofre não foi aberto, a charada era a seguinte:  A descrição é bonita, quase uma cena real. Quem ouviu vai concordar que é um poema sem igual. Qual o nome da música !? A resposta era: Cavalgada de Roberto Carlos.

Nesta, que o cofre não foi aberto, Alex disse que teve perto. Chegou no cantor Roberto Carlos…sorri. Ele acrescentou que sempre está ouvindo a rádio, assim como, a esposa Adriana Santos. O casal já foi contemplado em outras ações da Nativa.

O cofre da Nativa sempre vai ser na Página da Rádio, no Facebook da rádio, divulgado pela rádio e as pessoas devem ir à página pra pra digitarem a senha que vai abrir o cofre. O envolvimento é extraordinário. Essa, tem sido mais uma modalidade de interação que a Nativa buscou, aproveitando as redes sociais, notadamente o Facebook, pra interagir com seus ouvintes. Em quatro edições estamos nos aproximando dos 10 mil participantes, de alegrete e incontáveis cidades que acompanham a Nativa online.

 

Flaviane Antolini Favero

 

 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •