Milena Antunes, a mais prendada da 3ª Capital Farroupilha

Milena se sente completa ao realizar projetos sociais, auxiliando a comunidade alegretense. Incentivando jovens a frequentar um CTG, saindo das ruas, e buscando atividades tradicionalistas

Milena, foi Prenda dos Festejos, mirim, juvenil e adulta
Milena, foi Prenda dos Festejos, mirim, juvenil e adulta

Milena Antunes, é a 1ª Prenda dos Festejos Farroupilhas de Alegrete. Aos 23 anos, a alegretense é acadêmica de Medicina Veterinária pela Universidade Federal do Pampa-Uruguaiana.

Com uma trajetória de vida voltada ao tradicionalismo, ela diz que não foi levada ao tradicionalismo. “Ele sempre esteve em mim, pela minha família. Eu venho de uma família tradicionalista, onde desde cedo me ensinaram cultuar as nossas tradições”, destaca a guria.

Milena, foi Prenda dos Festejos, mirim, juvenil e adulta
Milena, foi Prenda dos Festejos, mirim, juvenil e adulta

E foi dentro de um CTG que ela forjou seu caráter, aprendeu o valor de uma palavra empenhada. “Aprendi que nada é mais lindo do que termos orgulho da nossa essência, do que realmente somos”, afirma.

Milena iniciou cedo suas atuações como prenda. Aos 3 anos já estava declamando poesias em festivais, embora ainda não tivessa aprendido a ler, nem escrever. Ela conta que sua mãe Mirian Antunes, transformava as palavras em desenhos, para que Milena conseguisse decorar os poemas. “Minha mãe sempre foi minha principal incentivadora, sendo minha parceira até hoje em todos os concursos e eventos que me disponho a participar”, frisa a prenda.

Prenda dos Festejos Farroupilhas
Prenda dos Festejos Farroupilhas

Ainda adolescente, passou a integrar as invernadas de danças do Centro Farroupilha de Tradições Gaúchas, entidade esta que se tornou sua segunda casa. “Foi dentro do Farroupilha que me descobri como prenda, lá em 2006 como prenda mirim da entidade”, relembra.

São muitas conquistas de Milena, foi 1ª Prenda Mirim do Centro Farroupilha de Tradições Gaúchas, Mais Prendada Prenda Mirim da 29ª Campereada Internacional de Alegrete, 3ª Prenda Mirim da 4ª Região Tradicionalista, Mais Prendada Prenda Mirim dos Festejos Farroupilha de Alegrete, 1ª Prenda Juvenil do Centro Farroupilha de Tradições Gaúchas, Mais Prendada Prenda Juvenil dos Festejos Farroupilhas de Alegrete e 1ª Prenda Juvenil da 4ª Região Tradicionalista.

Atualmente, ela carrega a faixa de 1ª Prenda do Centro Farroupilha de Tradições Gaúchas e 1ª Prenda dos Festejos Farroupilhas de Alegrete. Milena integrou as invernadas do Centro Farroupilha de tradições Gaúchas nas categorias Mirim e Juvenil.

Em 2014, ousou sonhar outros sonhos. São com essas palavras que ela define sua passagem para a Invernada Adulta do DTG do Clube Juventude. “Junto aos fronteiriços dividi sonhos e realizei muitos deles no palco do ENART, sensação que jamais irei esquecer. Foram três anos ao lado deste grupo incrível, onde aprendi sobre união, disciplina e família”, destaca.

“Confesso que a caminhada é longa e árdua, mas sinto que é através do tradicionalismo, e principalmente como prenda que eu realmente me encontro”, revela a futura médica vetrinária.

Milena conta que não foi fácil retomar ao prendado, principalmente por conciliar o estágio em uma clínica veterinária, e com a faculdade, que está no final.

“Sempre ouvi falar que quando realmente queremos algo, conseguimos dar um jeito. E foi assim comigo”, assevera.

Como ela já havia sido prenda mirim e juvenil dos Festejos, sentiu a necessidade de retomar e continuar a escrever esta história.

“Eu sentia que neste momento, em que nos encontramos no meio desta triste pandemia, eu devia retomar sendo a representante da mulher gaúcha alegretense, podendo fazer minha voz ser escutada por todos os quatro cantos de Alegrete, trazendo esperança, igualdade, respeito por todas mulheres e, principalmente fortalecendo nossa tradição. Ser prenda para mim, é minha essência, é quem realmente sou”, conta.

Milena se sente completa ao realizar projetos sociais, auxiliando a comunidade alegretense. Incentivando jovens a frequentar um CTG, saindo às ruas, e buscando atividades tradicionalistas. “Me sinto completa a cada criança em que eu sirvo de espelho, ou quando sinto a chama da tradição arder dentro do coração de todos alegretenses. Talvez seja esta chama que esteja ardendo novamente em nossos corações”, conta.

A 1ª Prenda é categórica, fala que o tradicionalismo passa hoje, por um dos períodos mais delicados de sua história Um Movimento sem fins lucrativos, em meio a pandemia, ela diz que muitas entidades tradicionalistas não voltaram a abrir suas portas, por isso, se sente completa ao enxergar seu Alegrete se reerguendo, mesmo com tantas perdas.

Milena Antunes
Milena Antunes

“Acredito que, uma das pessoas que mais teria orgulho do Alegrete nestes Festejos Farroupilhas, seria meu avô Ernani Antunes. Infelizmente, ele partiu para a estancia do céu, mas tenho certeza que de onde ele estiver, está orgulhoso por estarmos recomeçando mesmo com tantas adversidades. De não termos ‘’froxado o garrão’’ como o gaúcho diz, pois certamente esse espirito de querer fazer o bem à comunidade que eu tenho, herdei dele. Dedico a ele, o título de 1ª Prenda dos Festejos Farroupilhas de Alegrete, do nosso Alegrete. Prometi que seguiria erguendo as mesmas bandeiras dele, e aqui estou, recomeçando juntamente com a comunidade alegretense”, descreve Milena.

Neste ano, os Festejos Farroupilhas têm um significado diferente para todos nós gaúchos, diz Milena. “É uma fagulha que estamos acendendo, na tentativa de retomarmos nossas tradições. A pandemia nos tirou muitas coisas, só não conseguiu nos tirar o amor que temos pelo nosso pago” acredita.

Milena se sente realizada no tradicionalismo
Milena se sente realizada no tradicionalismo

A 1ª Prenda é assim, tomada por um sentimento puro ao tradicionalismo gaúcho e sobretudo fiel às suas raízes.

“Eu só peço que Deus e Nossa Senhora Aparecida, padroeira do nosso Alegrete, que abençoe e ilumine nossos caminhos. Que protejam a todos os cidadãos alegretenses, e permitam que nosso setembro seja ainda mais lindo. Que eu como representante da mulher gaúcha alegretense, consiga levar comigo em cada canto por onde eu ande, um pouco de cada mulher alegretense. Que eu tenha a garra, a coragem e principalmente, a força da mulher alegretense. Que unida a todos os sentimentos alegretenses, eu consiga ser a voz da mulher gaúcha”,finaliza.

Fotos: acervo pessoal

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários