Chuvas devem ficar abaixo da média nos próximos três meses

O INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) prevê precipitação predominantemente abaixo da média para fevereiro e março de 2022.

Falta de chuva vai afetar a produção no município

Para abril, o modelo também prevê que o volume de precipitação fique abaixo da média, com valores mais pronunciados na Fronteira Oeste.

Com relação às temperaturas, a previsão mostra que devem ficar acima da média nos próximos três meses. No entanto, após a passagem de sistemas frontais, poderá haver quedas mais acentuadas nas temperaturas mínimas. Isso fica agravado por conta da presença da La Niña.

Surge mais um grande projeto de apoio à causa animal

Jossana Ceolin Cera, meteorologista, doutora em Engenharia Agrícola pela UFSM e consultora do Irga, explica que de modo geral, o volume das precipitações não mudou muito de novembro para dezembro de 2021, visto que ficou abaixo da média em praticamente todo o RS.

A exceção foi o extremo leste, na região das lagoas, onde o volume superou a Normal Climatológica do mês. Logo, na maior parte do RS, as precipitações ficaram abaixo dos 45 milímetros acumulados. Os locais que passaram dos 100 mm foram as regiões de Canguçu, de Porto Alegre e das lagoas. As anomalias de precipitação foram negativas em dezembro, principalmente na Metade Norte do Estado, onde deveriam ocorrer os maiores volumes acumulados do mês.

Chuvas abaixo do volume e frequência ideais, elevação nas temperaturas, baixa umidade relativa do ar e ventos que, predominantemente, sopravam de Sudeste, agravaram muito a situação da estiagem no RS. Em dezembro já eram somados grandes prejuízos nas lavouras de milho, principalmente, e nas de soja. Nas lavouras de arroz, a situação ainda não era tão crítica, pois havia a esperança das chuvas de janeiro, o que acabou não se confirmando.

Brigada Militar teve um ano de desafios e projeta atuação mais ostensiva em 2022

Em relatório publicado no dia 13 de janeiro de 2022, a NOAA-CPC (National Oceanic and Atmospheric Administration, Climate Prediction Center) divulgou que a La Niña tem 83% de chance de continuar durante o trimestre fev-mar-abr de 2022 e que entraria em Neutralidade durante o outono.

As anomalias de temperatura foram mais elevadas em dezembro na região Niño 1+2. Essa região tem relação mais direta com as precipitações no RS. Logo, esta pode ser a razão para a expressiva falta de chuva no Estado em dezembro e durante a primeira quinzena de janeiro de 2022.

As águas no Oceano Atlântico Sul apresentaram, em dezembro, temperatura entre valores normais e acima do normal, ao longo da costa do RS. Possivelmente, devido à maior força do Pacífico no momento, este fator não favoreceu as chuvas no RS. Mas, é importante acompanhar sua evolução durante o período do verão

Fonte: Irga Foto: Sindicato Rural

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários