Engenheiro questiona falta de acessibilidade em Alegrete

A falta de acessibilidade em prédios públicos foi bem contextualizada pelo Engenheiro Civil, Vicente Aquino.

Entrada da Prefeitura na Praça Getúlio Vargas
Entrada da Prefeitura na Praça Getúlio Vargas

Em uma postagem, ele observa que a pessoa deficiente é aquela que tem impedimento a longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial e que em interação com uma ou mais barreiras podem obstruir a sua participação efetiva em sociedade.

Para ilustrar esse conceito, ele postou uma foto da entrada do prédio da Prefeitura na Praça Getúlio Vargas. A entrada, com escadas, de acordo com o Engenheiro, barra o acesso de pessoas, nas mesmas condições de igualdade de quem pode se locomover normalmente, salienta.

O artesão que perdeu a visão “vê” pelas janelas da alma

Ele questiona quando os gestores públicos terão essa iniciativa em nosso Município para que as pessoas deficientes ou com mobilidade reduzida possam ter acesso aos serviços.

O engenheiro citou a faixa de segurança na esquina do calçadão, na Rua General Sampaio, que não tem inclinação e nem dimensão correta de acordo com normas técnicas, diz o Engenheiro.

Alegrete está longe e não deu um passo importante em acesibilidade, atesta Vicente Aquino. Isso limita o acesso de muitos, lembrando que idosos, gestantes, assim como cadeirantes têm mobilidade reduzida.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários