Sindicato da Alimentação fecha todos acordos com data-base em 2022

Segundo o presidente da classe, o ano de 2022 foi positivo para a categoria, uma vez que todas as negociações foram concluídas com reajustes iguais ou ligeiramente superiores ao INPC, que é o índice usado para o cálculo da inflação.

Com o acerto fechado entre o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação de Alegrete e a empresa Marfrig, no último dia 12, a entidade sindical concluiu positivamente todas as negociações envolvendo as datas-bases de junho e julho 2022 para os trabalhadores e trabalhadoras das indústrias da alimentação.

De acordo com o presidente do STIAA Marcos Rosse, a data base de junho envolve os trabalhadores das empresas de alimentação em geral, padarias, arroz e frigoríficos de carnes, cujas negociações se dá à nível de estado através de convenção coletiva, além dos trabalhadores e trabalhadoras da CAAL, cujo acerto se dá por acordo coletivo, ou seja, uma negociação direta entre o sindicato e a empresa.

Já a data base de julho, envolve os trabalhadores e trabalhadoras da empresa Marfrig, cujo acerto também se dá por acordo coletivo direto com a empresa, embora em 2022 tenha sido negociado apenas o índice, já que o acordo fechado em 2021 é válido por dois anos.

Segundo o presidente da classe, o ano de 2022 foi positivo para a categoria, uma vez que todas as negociações foram concluídas com reajustes iguais ou ligeiramente superiores ao INPC, que é o índice usado para o cálculo da inflação.

Malabarista portenho alimenta quatro filhos fazendo arte nos semáforos

“Nós sabemos o período difícil que os trabalhadores estão atravessando, com uma inflação tão alta, para colocar comida na mesa, por isso nossa preocupação era fechar o aumento para todos com o melhor índice possível, sem perdas de direitos e com o menor tempo possível para que, além dos 12 meses que a lei impõe, os trabalhadores não ficassem sem aumento um período maior ainda”, destacou Rosse.

“Graças ao bom diálogo que tanto o sindicato como a nossa Federação tem com o setor patronal, conseguimos fechar acordos e convenções positivamente, mantendo todas as cláusulas e repondo integralmente a inflação do período até mesmo com um pequeno percentual de aumento real em alguns casos, o que em um momento de tantos ataques aos direitos da classe trabalhadora, de desemprego e desvalorização salarial é altamente positivo”, conclui o diretor sindical.

Rosse parabeniza a federação, a FIEICA e a todos os trabalhadores e trabalhadoras do ramo da alimentação de Alegrete por essas conquistas.

A tarde de domingo foi de violência contra mulher; houve 4 registros na DP

Para a data-base de junho os trabalhadores da Alimentação geral, padarias e carnes, menos o Marfrig, receberão um reajuste de 12,03%(doze vírgula zero três por cento); para os trabalhadores do ramo do arroz, exceto CAAL será de 12%.

A CAAL também terá um reajuste de 12%, mas é um acordo que valerá até 2024, sendo que na data base de junho de 2023, as partes negociarão apenas o índice de reajuste, mantendo as demais cláusulas. No caso da Marfrig, data base de julho, o acordo foi fechado em 11,92%.

Vale destacar que todos os reajustes serão integralmente aplicados nos salários dos trabalhadores que tenham no mínimo 12 meses de empresa.

Foto: STIAA

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários