Superação, determinação e fé na vida do barbeiro alegretense Jalisson Oliveira

"Que eu possa ter maturidade suficiente pra conseguir me afastar tudo que me afasta de Deus".

Jalisson, pensou em largar a carreira, mas resgatou a fé em Deus.

Jailson Oliveira Dias, como todo jovem, apostava ser jogador de futebol. Jogou no campeonato amador da cidade, disputou competições de futsal e talvez por caminhos que o destino impõe, o futebol foi uma passagem em sua vida.

O jovem filho do casal Patricia Dias e Gilmar Dias, ingressou no mercado de trabalho com atividades na Peruzzo Supermercados. Foi atendente de açougue e repositor no hortifruti, ganhou experiência e após sair da empresa resolveu buscar uma nova profissão.

Num certo dia passando pelo calçadão foi abordado por um funcionário do Instituto Mix, que oferecia cursos. Guardou o folder e de noite em casa, resolver ler com mais calma os cursos, e chamou a atenção o curso de barbeiro. Conversou com a mãe Patrícia e ela achou interessante a ideia.

A alegretense que luta pelo crescimento e modernização da biblioteca pública

Jalisson resolveu apostar na proposta. No curso encontrei amigos, um deles Fernando Barber, que tão logo foi concluído o aprendizado indicou Jalisson para barbearia Vasconcellos.

Na Vasconcellos, Jalisson pode mostrar seu talento como barbeiro e iniciou a carreira. Mas o alegretense queria ter seu próprio negócio. Surgiu uma nova oportunidade, de ter sua própria barbearia. Com incentivo, apoio e ajuda dos pais conseguiu abrir. Mas como na vida nem tudo são flores, Jalisson fez escolhas erradas e como resultado, foi necessário fechar a empresa. Hoje ele trabalha como auxiliar na barbearia do amigo Fernando Silva.

“Que eu possa ter maturidade suficiente pra conseguir me afastar tudo que me afasta de Deus, eu perdi muita coisa vivendo de forma errada”, descreve.

Jalisson, retomou aos cortes de cabelo e se fortaleceu pela ajuda de todos amigos e familiares.
Jalisson, retomou aos cortes de cabelo e se fortaleceu pela ajuda de todos amigos e familiares.

A fisioterapeuta que faz do voluntariado uma permanente luta por uma cidade acessível e inclusiva

Entre perdas, erros e acertos, o barbeiro tenta dar uma volta por cima depois de mergulhar numa tremenda depressão pós acidente de carro. Confira os principais trechos de uma entrevista com o jovem talentoso barbeiro que busca a superação e volta a fazer o que ele sempre fez. Cortar cabelos é sua arte:

Portal: Como está o ramo de barbearia em Alegrete ?

Está em alta, a cada dia que passa independente da pandemia, este ramo só cresce em nossa cidade. Com isso a concorrência ficou acirrada e o nível de exigência do consumidor também.

Portal: Teu sustento é fruto da tua profissão. Consegue sobreviver cortando cabelo ?

Sim, dá pra sobreviver, com certeza. Porém é preciso dedicação, comprometimento, resiliência, muita persistência e renúncia.

Portal: A pandemia afetou o teu trabalho. Como está sendo trabalhar estes dois anos em meio aos Decretos ?

Bom, afetou sim, pois nós que somos autônomo sofremos. Dependemos do nosso trabalho, eu no início quando abri a barbearia, dependia do meu trabalho para pagar o aluguel da minha casa e empresa. Aí quando teve decreto foi bastante prejudicial. Não podíamos abrir final de semana e feriado. Isso foi uns dos motivos do fechamento da minha empresa e influenciou no quadro de depressão.

Portal: Tua vida deu uma reviravolta nos últimos tempos como foi superar tudo isto ?

Na verdade, ainda não superei, estou lutando a cada dia, graças a Deus tenho minha família ao meu lado pra me ajudar a vencer cada obstáculos.

Portal: Recentemente você postou um vídeo na tua rede social falando de drogas, de erros cometidos e aceitando Jesus na tua vida. Que processo é esse que transformou tua vida ?

Foi um momento muito difícil pra mim. Senti muito a morte do meu filho Valentin, aí venho a pandemia , fechamento da minha empresa, término do meu casamento, foi aí que andei com algumas pessoas e acabei usando droga para tentar me sentir bem, onde fazia esquecer meus problemas.
Mas quando passava voltavam meus problemas. Então decidi acabar com minha vida no dia do acidente, mas Deus não permitiu. Isso me livrou de muita coisa, de não estar hoje numa cadeira de roda ou até ficar mudo devido ao corte na língua.
Foi quando minha mãe de tanto orar por mim, que comecei a ter o desejo de voltar para Jesus. Se ele não permitiu eu morrer no acidente, ele tem propósito na minha vida, e desde então estou indo na igreja e buscando cada vez mais fé. Pois quero recuperar tudo que perdi devido meus erros nessa vida.

Portal: Há muitos jovens desempregados na cidade. Se tu pudesse dar um incentivo para aqueles que planejam seguir a profissão de barbeiro, qual seria ?

Jovens, você que está planejando entrar no ramo de barbearia, presta atenção. Não tenha medo de começar, no início é muito difícil, mas vale a pena. Investir no conhecimento, estudem, ouçam quem está no ramo há muito tempo, e não dá bola para as críticas, isso normal. Se quiserem alguma ajuda estarei à disposição pra ajudar trocar ideia. Vale a pena trabalhar nesse ramo.

Jalisson busca a cada dia superação com sua arte de cortar cabelos
Jalisson busca a cada dia superação com sua arte de cortar cabelos

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários