Voluntários trabalham para manter CEDEDICA que ajuda menores em Alegrete

Depois do Espaço Regimental na Câmara, proposto pelo vereador João Monteiro(PP), no último dia 28, com os administradores do Centro de Defesa da Criança e do Adolescente de Alegrete (CEDEDICA), o trabalho para manter a entidade continua.

O CEDEDICA, conforme seus integrantes, está regularizado com sua documentação e em plena atividade.

O presidente Alexandre Machado e a assistente social Wilma Siqueira, uma das fundadoras e voluntárias efetivas do CEDEDICA dizem que o objetivo é continuar as atividades.

Machado explicou que há um processo no Ministério Público para suspender as atividades, com a alegação de que agora o Poder Público passou a atender as demandas que antes não eram de sua responsabilidade e que o Centro atendia.

No Alegrete ainda é assim: guria, a cavalo, faz compras e entrega produtos do Avon para as clientes da mãe

O advogado diz que já contestaram na Justiça essa determinação, porque há demanda e o voluntariado quer continuar com as atividades em Alegrete.

O CEDEDICA oferece atividades, no turno inverso às crianças e jovens com várias oficinas de música, informática, esporte, dentre outras.

A assistente social Vilma Siqueira no último dia 28, no espaço regimental da Câmara relatou que a Secretaria de Promoção Social suspendeu um repasse de três mil reais mensais, que ajudava nas despesas fixas da entidade. “Um valor pequeno, que nunca foi reajustado, mas que permitia um certo fôlego na manutenção do dia a dia”, explica.

Mário Quintana, no banco da Praça, virou celebridade outra vez

– Estamos em atividade desde 2007, com muito empenho, doação e dedicação, diz a assistente social.

O vereador João Monteiro, proponente do Espaço Regimental, não vê sentido em encerrar atividades que dão suporte no acolhimento e na defesa de crianças e adolescentes. Se existem demandas não há sentido em encerrar o trabalho, argumentou o vereador.

Chica – a bugia que divide almoço com taxistas da Praça Nova

Depois do espaço regimental, o presidente da Câmara, Anilton Oliveira, encaminhou uma emenda impositiva de R$ 40 mil a ser executada em 2023 e acredita que o conjunto de vereadores será o mediador entre Secretaria de Promoção Social e CEDEDICA, já que a entidade é uma organização da sociedade civil de interesse público com 15 anos de atuação e em plena atividade.

Na ocasião se manifestaram os vereadores: Eder Fioravante, Vagner Fan, Cléo Trindade e Ênio Bastos – declararam apoio à entidade e construção de diálogo para mediação dos conflitos.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários